logo1


Toda essa história de devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro começou em outro país e há muitos anos. Foi com o nome de “Mãe do Perpétuo Socorro” que o Papa Pio IX quis que os Redentoristas tornassem conhecido esse ícone de Nossa Senhora. Uma tradição do séc. XVI conta que um comerciante da Ilha de Creta (Grécia) roubou de uma igreja, um quadro da Virgem que fazia muitos prodígios. Escondeu-o no meio da bagagem e embarcou para o Ocidente.

Durante a viagem, desencadeou-se uma terrível tempestade. Mas, graças a Deus e à Virgem, o navio conseguiu chegar ao porto desejado. Um ano depois, o comerciante /estava em Roma com o quadro. Ele adoeceu gravemente e procurou acolhida na casa de um amigo. Na hora da morte, contou-lhe o segredo do quadro e pediu que o colocasse em alguma Igreja.

O amigo prometeu. Mas morreu também sem cumprir a promessa, pois sua esposa sempre se recusara a desprender-se do belo quadro. Mais tarde, a Santíssima Virgem apareceu para uma menina de seis anos, filha daquela família romana, com o pedido de que ela avisasse a mãe e o avô que o quadro de Santa Maria do Perpétuo Socorro deveria ser colocado numa igreja dedicada a São Mateus, localizada entre as igrejas de Santa Maria Maior e São João de Latrão. E assim aconteceu.

No entanto, anos depois, veio a guerra e, com ela, a destruição quase total da Igreja e do mosteiro. Em 1798, os Agostinianos, que cuidavam do local, se mudaram para uma Igreja perto dali e levaram o quadro.

Em janeiro de 1855, os Redentoristas compraram em Roma a residência chamada “Villa Caserta”. Seria a casa central de sua congregação missionária, que já estava implantada na Europa Ocidental e na América do Norte. Justamente naquela área encontravam-se as ruínas da Igreja de São Mateus, destruída pela guerra.

Os Redentoristas queriam conhecer tudo o que dizia respeito à sua nova propriedade. Por isso, ficaram muito contentes quando em 1863 um padre jesuíta perguntou num sermão: Quem sabe onde foi parar um quadro de Maria que “esteve na Igreja de São Mateus na rua Merulana, conhecido como Virgem de São Mateus, e mais propriamente Perpétuo Socorro?”, assim voltou a busca pelo quadro.

Depois de algum tempo, o Papa Pio IX determinou que o quadro voltasse para o local desejado na aparição da Santíssima Virgem, e disse ao Superior Geral dos Redentoristas: “Façam-na conhecida no mundo inteiro”.

@Todos os direitos reservados - Matriz de Campinas 2017